Na hora de decidir qual imóvel comprar, muitos fatores são determinantes: metragem, número de quartos, estrutura, localização, número de vagas ou garagem, posicionamento solar e diversos outros. Mas será que o imóvel com todas as características desejadas cabe no seu bolso? Nesse post, vamos te ajudar a entender melhor quais são as formas de financiamento e como elas funcionam. Assim, você pode se programar para tornar seu sonho realidade!

 

Muitos bancos oferecem financiamentos — o que muda são as condições de pagamento, como taxa de juros, valor disponível para financiamento e tempo de duração do contrato. Num primeiro momento, é importante escolher um banco e conversar com o gerente para iniciar a etapa de liberação de crédito.

 

Para isso, os documentos necessários são:

  • cópia do RG;
  • cópia do CPF;
  • comprovante de renda e de estado civil.

O valor de crédito para o financiamento de um imóvel varia conforme a sua renda. Uma pesquisa realizada a pedido da Exame mostra que o poder de compra aumentou 21% em 2017. Quem, por exemplo, possui rendimentos de até 3 mil reais por mês, pode financiar imóveis de até R$ 115 mil. Já quem possui renda familiar de até 8 mil reais por mês consegue até R$ 300 mil. Ou seja: quanto maior a sua renda, maior seu crédito.

 

Tipos de financiamento

Existem alguns tipos de financiamentos de imóveis, e você pode utilizar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), e o financiamento feito direto com a construtora. Veja a seguir como funciona cada um:

Financiamento utilizando o FGTS: esse tipo de financiamento é restrito a pessoas com um teto máximo de renda familiar. O valor varia de acordo com a região do país, e os juros são menores do que no SBPE. O valor do imóvel e do financiamento pode ter limites diferentes e variar eventualmente.

Financiamento pelo (SBPE): diferente do FGTS, esse tipo de financiamento não requer um limite de renda familiar e, se o valor do imóvel estiver dentro dos limites do Sistema Financeiro de Habitação (SFB), as taxas não podem ultrapassar 12%.

Financiamento direto com construtoras: normalmente são mais flexíveis e negociáveis. Além disso, não há limites para renda, valores negociados ou taxa de juros.

 

Para realizar o sonho do imóvel próprio, separamos algumas dicas que podem te ajudar:

1- Organize seu orçamento: busque um imóvel que esteja dentro do que sua renda familiar permite — analise bem as despesas e corte gastos desnecessários.

2- Pesquise até encontrar um imóvel que realmente caiba no seu bolso. veja se o custo-benefício do imóvel se enquadra na faixa de financiamento da sua renda.

3- Guarde dinheiro para eventuais despesas extras. Existem taxas bancárias, despesas com IPTU e gastos com documentações. É bom estar preparado para tudo isso!

 

Tem mais alguma dúvida? Não esqueça de que a Auxiliadora Predial pode ajudar em todo esse processo. Contate a gente — um de nossos consultores irá auxiliar você a encontrar os melhores imóveis e as melhores condições para você!