4 dicas para usar a piscina do condomínio com segurança

Piscina do condomínio: síndicos e moradores devem cumprir algumas importantes normas
Redação

Redação

Tempo de leitura: 6 minutos

No verão, a meta é achar uma forma para se refrescar. A estação mais quente do ano leva praticamente todo mundo a procurar alguma forma de lazer: praia, ar-condicionado e, claro, uma piscina, inclusive aquela que fica no próprio prédio. Contudo, será que síndicos e moradores estão sabendo manter o correto uso da piscina do condomínio, por exemplo?

Os condomínios que oferecem o espaço são uma das sensações na hora de procurar uma moradia. Igualmente, áreas de lazer como essa recebem um grande fluxo de circulação de pessoas. Ou seja, as altas temperaturas não dão trégua e o uso é intenso.

Neste artigo vamos falar sobre pontos importantes do uso da piscina do condomínio, como a sua preservação e os cuidados por parte de síndicos e moradores. Vamos lá?

 

1. Crianças na piscina do condomínio

A primeira dica tem a ver com o uso da criançada e a segurança em primeiro lugar.

Nesse sentido, síndicos e condôminos devem colaborar para manter o ambiente seguro para as crianças.

Dentre as maneiras de fazer o uso com segurança, a primeira é não permitir que elas permaneçam na piscina sozinhas. Além disso, muitos condomínios só permitem o acesso com o acompanhamento de um responsável.

Do mesmo modo, com foco em manter o local seguro, para os que não sabem nadar, a entrada na água só deve ocorrer com o uso de boias. Aos que sabem nadar, monitorá-los com atenção também é importante.

Como todo mundo imagina, crianças e adolescentes adoram usar o espaço para se divertir ao máximo. No entanto, as brincadeiras mais calmas devem prevalecer.

Com agitação no espaço molhado, quedas e resvalos podem ocorrer. Então, acidentes devem ser evitados mantendo os ânimos mais calmos.

 

2. Cuidados ao sol

Os cuidados na exposição ao sol garantem uma experiência positiva para a própria pessoa. Portanto, preserve a sua saúde e leve a sério as formas de prevenção.

Os melhores horários para usar a piscina do condomínio são, pela manhã, até às 11h, e, durante a tarde, após as 15h.

A recomendação serve, sobretudo, para evitar os riscos de queimaduras solares e insolações.

 

Piscina do condomínio: espaço é a fuga perfeita para os dias mais quentes, mas a atenção aos cuidados deve ser priorizada
Piscina do condomínio: espaço é a fuga perfeita para os dias mais quentes, mas a atenção aos cuidados deve ser priorizada

 

3. Normas e segurança

Se tem uma coisa que ninguém deseja, ainda mais em plena época de calor, que sempre lembra alegria e alto astral, é vivenciar algum incidente.

Sob o mesmo ponto de vista, algumas regras são essenciais para ajudar nessa organização.

Portanto, é importante criar normas para o uso da piscina do condomínio, justamente como prevenção a qualquer momento de risco.

Essas normas precisam ser definidas em assembleia, de modo a serem estabelecidas e devidamente cumpridas.

E por falar em regras, a piscina deve ficar fechada enquanto não é usada. Isso pode ser feito através de grades, cercas e portões.

Vale lembrar que o síndico é o representante do condomínio e, por isso, responde civil e criminalmente por tudo o que acontece. Isso inclui manter em dia a segurança, a manutenção e a higiene da área da piscina.

Por fim, existem recursos para ampliar a segurança no local. Por exemplo, um sistema de monitoramento por câmeras pode ser um excelente aliado nessa missão.

 

Leia também:

Tudo o que você precisa saber sobre taxa de mudança e outras regras do condomínio

Você sabe como fazer a implementação de coleta seletiva no condomínio?

eSocial no condomínio: como funciona?

 

4. Manutenção em primeiro lugar

A garantia de um espaço seguro para todos por parte do síndico envolve cada detalhe da área de piscina do condomínio.

Logo, pisos, escadas e chuveiros, por exemplo, devem estar em dia e bem preservados. Além disso, é preciso que placas na área da piscina indiquem a sua profundidade.

Definitivamente, manutenção na piscina do condomínio é coisa séria. Inclusive, existem normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas, a ABNT, que apontam para a obrigatoriedade de ter um profissional qualificado para fazer a limpeza e a manutenção do espaço.

Conforme a Associação, as normas referentes às piscinas são a ABNT NBR 11238, ABNT NBR 11239 e ABNT NBR 10818, que tratam da segurança e higiene; do projeto e execução de piscina; e da qualidade da água, respectivamente.

Nos condomínios menores, a manutenção pode ser feita por zeladores ou faxineiros. Porém, é preciso que façam treinamento para isso e que utilizem equipamentos de proteção individual próprios para a atividade.

Por outro lado, nos grandes condomínios, o mais comum – e a melhor opção – é acionar uma empresa especializada nestes serviços.

 

Piscina do condomínio: síndicos devem cumprir uma série de ações durante a manutenção
Piscina do condomínio: síndicos devem cumprir uma série de ações durante a manutenção

 

Cuidados de estrutura, segurança e higiene

  • Profundidade: as piscinas infantis não devem ter uma profundidade maior do que 0,60m; Piscinas tradicionais devem ter entradas e saídas, como escadas, na parte rasa.

Ainda, algumas cidades exigem, durante o uso das áreas de piscina, a vigilância de salva-vidas com identificação. Portanto, é preciso consultar a legislação de cada município sobre o assunto.

 

  • Ralos: devem estar cobertos por grades ou tampas, e as aberturas das mesmas devem ter até 10mm.

Nas piscinas antigas, os ralos têm uma sucção da água mais forte, o que pode causar acidentes. Nesse sentido, uma atualização deve ser avaliada para esses casos, optando pela troca do equipamento por um novo sem tanta vazão à água.

 

  • Chuveiro: a instalação deve ser feita na área da piscina. Simultaneamente, os usuários devem entender a importância de usá-lo antes de entrar na piscina. Essa ação evita que a água seja contaminada por protetores solares, cremes de cabelo, entre outros produtos.

Igualmente, o consumo de lanches ou de comidas ao redor da piscina deve ser evitado para ajudar a manter a água limpa.

 

  • Periodicidade da manutenção: a piscina deve receber manutenção semanalmente. Por outro lado, o síndico deve considerar o número de moradores para definir o tipo de manutenção.

 

Dicas de manutenção

Por fim, entenda que itens básicos garantem a manutenção e boa funcionalidade da piscina do condomínio:

  1. Filtragem: feita diariamente e conforme as especificações do fabricante do filtro. Em dias de tratamento com cloro faça a filtragem após a aplicação dos produtos;
  2. Cloro: aplicado a cada dois dias, sempre à noite para evitar evaporação. Em piscinas de vinil ou fibra, antes de aplicar, use cloro diluído em baldes de água;
  3. Aspiração e limpeza: devem ser feitos uma vez por semana. Lembre-se que as bordas da piscina devem ser escovadas semanalmente com escova macia e produto específico para esse tipo de limpeza.

 

Definitivamente, manter alguns cuidados é a garantia de uma experiência positiva para moradores e síndicos. A piscina do condomínio é um espaço utilizado por todos e deve ser preservada da mesma forma.

 

Precisa de ajuda com algum serviço no condomínio? Veja agora as soluções para serviços essenciais, recursos com tecnologia e muito mais para o seu condomínio.

 

Fonte: Síndico In

Vote post

Compartilhe

Envie por E-mail
Envie por Whatsapp
Envie por Facebook
Envie por Linkedin

© Auxiliadora Predial Ltda. Todos direitos reservados. | CRECI RS – J43 | CRECI SP – J21663 | Política de privacidade