Como evitar a dengue nos condomínios em 12 passos

Dengue nos condomínios: prevenção virou assunto urgente
Redação

Redação

Tempo de leitura: 6 minutos

Falar sobre a dengue nos condomínios é, sobretudo neste momento, uma prioridade. Da mesma forma, o país inteiro está em alerta.

Acontece que o verão não é uma época favorável para o controle da proliferação do Aedes aegypti. Agora, com o aumento de casos, a situação se torna ainda mais crítica.

Neste artigo você vai entender como prevenir a dengue nos condomínios e os cuidados que moradores, síndicos e funcionários devem ter nesse sentido.

 

Dengue e um cenário de alerta no país

Antes de mais nada, você precisa entender que o verão é causador de um ambiente favorável para que o vetor da doença se prolifere.

Em outras palavras, os períodos chuvosos e as altas temperaturas são perfeitos para o Aedes aegypti. Além disso, o mosquito também transmite o vírus da zika e chikungunya.

Nesse sentido, a estação já costuma gerar uma sensação de alerta. Porém, agora, os números em janeiro de 2022 redobram a atenção sobre o assunto.

Conforme um boletim do governo federal, foram mais de 40 mil casos de dengue no Brasil. Ou seja, um índice 48% maior do que o mesmo período no ano passado.

Veja que o aumento de casos se tornou uma realidade e, por isso, o Ministério da Saúde não descarta a possibilidade de uma epidemia de dengue.

Como resultado, metade dos municípios brasileiros já apresentam alta de casos neste início de ano. No mapa, a maior taxa de incidência da dengue foi na região Centro-Oeste, seguida do Norte, Sudeste, Sul e Nordeste.

Segundo o sistema de monitoramento da Fiocruz e da Fundação Getúlio Vargas, o InfoDengue, os indicadores chamam a atenção para a região Sul. Neste ano de 2022 ela é apontada como uma área de atenção para a expansão da dengue, juntamente com o noroeste de São Paulo.

Só na capital paulista, por exemplo, houve um crescimento de 260% nos casos de 2021 em comparação com 2020. 

 

Leia também

O que faz um zelador de condomínio?

5 perguntas e respostas para entender a lei sobre denúncia de maus-tratos a animais nos condomínios

4 dicas para usar a piscina do condomínio com segurança

 

Como o mosquito se prolifera?

Conforme já comentamos aqui, o mosquito Aedes aegypti é responsável por transmitir a dengue, a zika e a chikungunya.

Vale reforçar que a dengue, portanto, é uma infecção viral. A transmissão ocorre, principalmente, por meio da picada de um mosquito fêmea infectado por um flavivírus, geralmente o Aedes aegypti.

Ao todo, são quatro sorotipos diferentes, cada um interagindo de uma forma específica com os anticorpos humanos.

Para se proliferar, o mosquito precisa de ambientes quentes e úmidos. Por isso, o verão traduz a periodicidade dessas doenças.

Manter o controle, evitar focos da dengue e combater o vetor. Em síntese, essas devem ser prioridades de todos os brasileiros, já que o país inteiro está envolvido nessa “batalha”.

Sob o mesmo ponto de vista, o Ministério da Saúde indica que 80% dos focos estão dentro das residências. Ou seja, o cuidado começa dentro de casa.

 

Dengue nos condomínios

Em síntese, se a maior parte dos focos estão dentro das casas, os condomínios estão diretamente relacionados com esse enfrentamento.

A dengue nos condomínios se torna, então, um tema de urgência. Isso porque temos grande concentração de pessoas e diversos locais em que o mosquito pode se reproduzir.

É muito importante que síndicos, funcionários, moradores e todos aqueles que frequentam os condomínios entendam essa responsabilidade e se envolvam.

Eliminar qualquer tipo de criadouro do mosquito transmissor, erradicando locais que podem concentrar água parada, é fundamental para proteger a saúde de todos.

Além disso, essas ações coletivas fazem com que seja possível frear a expansão das doenças. Em outras palavras, medidas efetivas ajudam a salvar vidas.

 

Prevenção da dengue nos condomínios deve ser uma atitude permanente
Prevenção da dengue nos condomínios deve ser uma atitude permanente

 

Como evitar a dengue nos condomínios?

Está muito enganado quem pensa que as medidas de prevenção da dengue nos condomínios ficam somente no ato de jogar areia nos pratos de vasos de plantas.

As ações para evitar a proliferação do mosquito vão muito além disso. Sobretudo porque a responsabilidade é coletiva: síndicos, zeladores, demais funcionários e moradores têm ações básicas a seguir.

Portanto, vamos ver agora 12 passos para evitar a dengue nos condomínios:

 

Imóveis

1. Vasos de plantas: fure os pratos ou preencha com areia até a borda. O mesmo vale para os vasos de plantas espalhados pelas áreas comuns;

2. Esquadrias e canaletas das janelas: verifique sempre se não há água parada;

3. Pet em casa: mantenha os comedouros sempre limpos;

4. Ralos internos de esgoto: dê preferência para a tampa abre e fecha;

 

Áreas comuns

5. Fosso do elevador: por ser um local que acumula água, a limpeza deve estar sempre em dia;

6. Garagens: atenção a pontos com água parada;

7. Ralos externos: priorize a instalação de tela de nylon ou coloque sal semanalmente;

8. Tambores e guaritas com laje: mantenha as canaletas limpas para que a água da chuva escoe;

9. Calhas: mantenha a região sempre limpa e sem acúmulo de água;

10. Sanitário sem uso, como, por exemplo, do salão de festas ou da piscina: mantenha fechado. Se possível, semanalmente, acione a descarga e coloque 2 colheres de sopa de sal na água;

11. Piscina: cumpra o período adequado para uso do cloro e limpe bem a borda com bucha ou vassoura;

12. Caixa d’água: mantenha vedada e faça a limpeza periodicamente.

 

Outros cuidados contra a dengue nos condomínios

Da mesma forma, síndicos e administradoras devem praticar ações extras que se conectam com essas medidas de cuidado.

Um exemplo é realizar uma inspeção periódica nas áreas comuns para buscar possíveis focos. Nessa hora, pontos como canos, buracos, vasos, lajes e calhas devem ser analisados com atenção.

Além disso, acondicionar e descartar corretamente os resíduos também é essencial.

Os recipientes descartáveis que ficam nas áreas comuns também devem ser colocados em sacos de lixo para o descarte.

As medidas de segurança garantem a proteção da saúde de funcionários e moradores dos condomínios.

 

Quais são os sintomas da dengue?

O principal sintoma da dengue é a febre alta, que costuma surgir no início da infecção. Já outras reações ficam entre vermelhidão no corpo, dor de cabeça e dor nos músculos, articulações e ao redor dos olhos.

A dengue dura de quatro a dez dias e o diagnóstico acontece através de exame clínico e confirmação com exame de sangue.

Por fim, o site Biblioteca Virtual em Saúde, do Ministério da Saúde, fornece mais informações sobre a doença, os sintomas e tratamento da dengue.

 

Lembre-se que todos são responsáveis pelos cuidados individuais e coletivos nessa batalha contra a dengue. Incentive as pessoas do seu condomínio a encararem essas ações de prevenção!

 

Precisa de ajuda com o condomínio? Veja agora como a Auxiliadora Predial pode tornar a gestão muito mais fácil com serviços completos e recursos digitais!

4.7/5 - (8 votes)

Compartilhe

Envie por E-mail
Envie por Whatsapp
Envie por Facebook
Envie por Linkedin

© Auxiliadora Predial Ltda. Todos direitos reservados. | CRECI RS – J43 | CRECI SP – J21663 | Política de privacidade